Através de uma recolha de plantas em vias de extinção junto de agricultores da freguesia de Moreira do Lima, a Casa da Cuca conseguiu voltar a utilizar castas hoje reconhecidas como minoritárias, Cainho de Moreira do Lima e Galeguinho, trazendo biodiversidade na vinha e consequentemente aos vinhos produzidos. Por outro lado, são castas já adaptadas às sub-regiões onde foram plantadas há muitos anos, ou melhor ainda, de onde elas surgiram, por mutação ou cruzamentos naturais. A escassez de informação cultural sobre estas castas, muitas delas na legislação, tem levado nos últimos anos a serem alvo de estudo.
Assim sendo, a Casa da Cuca através desta recuperação pode novamente produzir o tão procurado vinho branco de Moreira do Lima, que em tempos deu fama ao vinhos brancos deste vale.